Quais os tipos de cobrança por boleto?

boleto

Quais os tipos de cobrança por boleto?

O boleto bancário é hoje uma das formas mais comuns de pagamento no Brasil, estima-se que mais de 50 milhões de boletos sejam liquidados a cada mês em nosso país, um número surpreendente, e que reforça a usabilidade desta ferramenta, tanto entre empresas como para com os consumidores finais. Certamente, você já teve que pagar um boleto em algum momento da vida, e se a sua carreira segue o ramo administrativo, também já deve ter precisado emitir algum boleto, ou organizar alguns desses documentos. Mas, você sabe os elementos que compõem este documento? Ou se existem outros tipos de boleto além do tradicional? Nas próximas linhas você descobrirá mais um pouco sobre essa ferramenta financeira tão importante!

O que é um Boleto Bancário?

Um boleto é um documento, usado em grande escala no Brasil como instrumento de pagamento de valores referentes a um determinado produto ou serviço. Basicamente, o emissor do boleto, recebe o valor indicado no documento, mediante o pagamento efetuado pelo destinatário.

Existe um padrão para os Boletos?

Como em qualquer documento, existem algumas regras a serem seguidas, e há também um layout específico, padronizando assim todos os boletos a serem emitidos, desta forma, não importa qual loja ou prestadora de serviço tenha emitido o boleto, ou de qual banco ele foi emitido, todos serão extremamente parecidos. Assim, as informações relevantes para o pagamento podem ser facilmente encontradas!

O Centro Nacional de Estudos da Arrecadação Bancária (CENEABAN) foi responsável pela formatação e criação desse layout, enquanto a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) promoveu a sua implementação e padronização. A união dessas medidas fez com que o modelo de boleto bancário vigente pudesse ser utilizado por toda a rede bancária brasileira.

Sobre o pagamento do boleto

Em termos técnicos, um boleto é a representação de um título de cobrança, sendo este pagável em qualquer estabelecimento em estado de convênio até uma data pré-estabelecida, o chamado vencimento.

Após a chegada desta data, grande parte dos boletos passa a ser pagável em apenas um estabelecimento, aquele de preferência do emissor (loja, prestadora de serviços, indústria) uma vez que, trata-se de um pagamento que descumpre as condições previamente estabelecidas na comunicação com o cliente. Devido a esta “quebra” de conduta, existe um ônus que pode incidir em forma de juros, taxas extras, multas e etc.

Era comum associar o pagamento de um boleto com a ida a uma agência bancária, mas, com a tecnologia em evolução vertiginosa e com a adaptação dos bancos a esta, existem hoje muitas outras formas de liquidar a dívida através do boleto.

Hoje é possível pagar um boleto em caixas eletrônicos, casas lotéricas, supermercados, ou até mesmo em casa, através do uso de um computador, ou, para aqueles mais modernos e adeptos à mobilidade, de um smartphone.

Com a antiga necessidade de se dirigir a um estabelecimento físico, o boleto acabava por perder alguns adeptos frente ao pagamento por cartão de crédito, que era mais cômodo para compras feitas através da internet por exemplo, mas, como foi explanado, essa vantagem de mobilidade vem sendo implantada aos boletos, dando mais uma opção de pagamento fácil a seus clientes.

Elementos de um boleto

Imagina-se que o seu negócio use o boleto como mais uma forma de pagamento oferecida aos seus clientes, mas, para fazer isso com eficiência, é fundamental dirigir bastante atenção ao processo de emissão destes documentos, seguem aqui alguns elementos que não podem faltar:

Banco: Instituição financeira que, através de contrato próprio firmado com o cedente/beneficiário, fica responsável pela cobrança. O banco receberá o pagamento do referido documento de cobrança pago pelo sacado/pagador, e creditará a importância paga na conta bancária do cedente/beneficiário.

Cedente/Beneficiário: Quem emite a cobrança. Ou seja, aquele que irá receber a quantia cobrada.

Sacado/Pagador: Quem efetua o pagamento do boleto.

Valor do documento: Valor que deverá ser pago pelo sacado antes do vencimento.

Data de vencimento: Data-limite para o pagamento do título.

Código de barras: Representação gráfica dos dados do boleto para leitura através de leitor habilitado para tal função. Os boletos possuem esta representação gráfica codificada no padrão Intercalado 2 de 5.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Boleto_banc%C3%A1rio

Tipos de boletos

Os boletos bancários diferem entre si no que diz respeito à carteira de cobrança, que é basicamente a forma como o boleto é gerado. Existem duas “macro-classificações”, o boleto Registrado e o Sem Registro, mas as opções se diversificam em cada um desses tipos, da seguinte forma.

Boleto Não Registrado:

Não existe informação prévia no banco sobre o documento, até que este seja pago, assim, não há uma relação entre o estabelecimento emissor e a agência bancário. É a opção mais prática, e também mais comum no comércio eletrônico.

Boleto Registrado:

No momento em que o documento é emitido, a agência bancária toma conhecimento da existência dessa dívida. Isso permite que algumas condições adicionais sejam permitidas. A exemplo do:

Boleto com cobrança rápida: Acontece quando o prazo de faturamento é inferior a 5 dias, e existe uma frequência de emissão, ou seja, uma relação contínua entre o estabelecimento e o cliente.

Boleto com cobrança indexada: Acontece quando o valor do documento não é fixo. Neste caso, os valores a serem pagos estão indexados à uma variável, e crescem ou diminuem de acordo com esta. O índice pode ser um tributo ou mesmo o câmbio de moedas estrangeiras.

Boletos com cobrança vinculada: Assemelha-se ao que as operadoras de cartão de crédito fazem, e a empresa recebe os valores em pendência antes mesmo destes serem pagos ao banco, no que é chamado antecipação de títulos. Existem neste tópico as variações Caucionadas e Descontadas, referentes à prática técnica na retirada do dinheiro.

Estes são os tipos de boletos mais comuns no mercado atualmente, uma certeza que acalma os corações de muitos empreendedores, é a de que podem contar com a ajuda de um sistema ERP para emitir qualquer um desses de forma automática, a partir de uma integração muito eficiente entre os setores. Assim fica ainda mais fácil propiciar a facilidade para os seus clientes!

Sem comentário

Escrever um comentário

Comentário
Nome
Email
Website

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.