O que é e para que serve a DRE?

O que é e para que serve a DRE?

DRE

Oguardando-dinheiro-com-fluxo-de-caixa-300x276 comando de uma empresa está longe de ser a tarefa luxuosa que muitos imaginam. A boa administração de um negócio envolve muito trabalho e dedicação, empregados para oferecer o melhor aos clientes ao mesmo tempo em que cumpre com todos os compromissos com os órgãos governamentais. Dentre essas obrigações, uma das mais importantes é a conhecida DRE (Demonstrativo do Resultado de Exercício), importante para compilar e divulgar as informações monetárias de uma empresa a qualquer tempo, mas costumeiramente realizada de forma anual, não tendo seu período de avaliação definido por lei. Esse instrumento contábil é um dos preferidos entre analistas, justamente por conter variadas informações relevantes ao bom funcionamento da empresa.

 

O que é a DRE?

Em poucas palavras a Demonstração do Resultado de Exercício é o resumo da circulação monetária da empresa em determinado período de tempo, sendo nela confrontados, recebimentos e despesas, custos e lucros, entre outras informações que contribuem para a riqueza de detalhes que essa possibilita ao analista.

 

Quais dados compõem a DRE?

4-300x300Esse tipo de demonstração financeira tem como diferencial uma enorme riqueza de detalhes, que só ocorrem mediante à sua produção e análise atenciosa, extremamente precisa e condizente com os dados reais, a partir dessas características, será possível usá-la em processos de tomada de decisões, avaliação de investimentos e comprovação de lucros provenientes de um determinado produto. Dentre os dados presentes na estrutura básica da DRE estão:

 

  • Receita de Vendas
    Corresponde ao somatório de renda obtida pela venda de seus produtos, antes de qualquer dedução fiscal ou retirada para custos operacionais envolvidos no processo de venda.

 

  • Custos
    Define aquilo que a sua empresa paga pela mercadoria que oferece, esses podem quase sempre ser diminuídos por meio de uma boa relação com fornecedores, o que impactará positivamente nos seus lucros.

 

  • Lucro Bruto
    Definido pela contraposição entre a receita e os custos, representará a primeira projeção de ganhos, mas ainda passará por algumas deduções antes que se tenha o valor final obtido no período avaliado.

 

  • Despesas Operacionais
    Gastos envolvidos entre o processo de compra com fornecedores, produção, pós-produção e por fim a venda do produto. Estão implícitos aí, gastos com energia, água, fretes, despesas com pessoal, despesas administrativas, e manutenção do patrimônio da empresa, entre outros.

 

  • Lucro Operacional
    É todo o resultado obtido após as atividades principais e acessórias da empresa, designando a quantia remanescente após as primeiras deduções. Deduções essas provenientes de custos e despesas operacionais, confrontados com a receita de vendas citada no primeiro tópico.

 

  • Resultado não-operacional
    Alteração na renda causada por atividade que não seja exatamente a exercida pela empresa, por exemplo, investimentos em outro segmento que não o trabalhado por esta, venda de equipamentos, entre outras práticas que podem representar tanto perda como ganhos.

 

  • Lucro Antes de Impostos sobre a Renda:
    Projeção de receita líquida antes da dedução de impostos.

 

  • Impostos:
    Tributos recolhidos pelo governo em proporção à circulação de mercadoria, e que incidem no preço final do produto e no lucro da empresa. Os principais impostos exigidos a empresas brasileiras são:– ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias.)– PIS/Pasep (Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público.) Cobrado das empresas.– IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica.): Incide sobre o lucro das empresas.– II (Imposto sobre Importação.)– IOF (Imposto sobre Operações Financeiras.) Incide sobre empréstimos, financiamentos e outras operações financeiras, e também sobre ações.– IPI (Imposto sobre Produto Industrializado.) Cobrado das indústrias.

 

  • Resultado Líquido ou Lucro ou Prejuízo Líquido
    A depender dos números envolvidos nessa equação, representará o sucesso (lucro) ou fracasso (prejuízo) da companhia em um período de tempo estabelecido para análise.

 

Após fazer o levantamento detalhado dos dados citados acima, a estrutura básica de sua DRE deve seguir a seguinte operação:

 

Estrutura Final da DRE (Com dados fictícios)
Receita de Vendas R$5000,00
( – ) Custos R$1500,00
( = ) Lucro Bruto R$3500,00
( – ) Despesas Operacionais R$200,00
( = ) Lucro Operacional R$3300,00
( +-) Resultado não Operacional + R$100,00
( = ) Lucro Antes de Impostos sobre a Renda R$3400,00
( – ) Impostos R$750,00
( = ) Resultado Líquido ou Lucro ou Prejuízo Líquido R$2650,00

Onde (-) ->subtração (+) ->adição (=) ->resultado

A importância da DRE figura principalmente pela obrigatoriedade de apresentação da mesma, exigida pelo Art. 176 da Lei 6.404/1978, mas sua eficiência está além do simples cumprimento de normas burocráticas, já que ela servirá como um auxílio para acompanhamento de toda a movimentação financeira dentro da empresa, independentemente de qual tamanho ela seja! A DRE pode ser facilmente emitida por alguns softwares de gestão, mas em falta de um deles o contador é o profissional ideal para produzi-la e elaborar uma análise, que servirá de base para novas decisões obre o rumo dos negócios.

Sem comentário

Escrever um comentário

Comentário
Nome
Email
Website

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.