Bloco K e suas mudanças em 2017

BLOCO K

Bloco K e suas mudanças em 2017

O ano passou bem rápido e 2017 já está praticamente batendo à nossa porta. Com apenas dois meses para o fim do ano a preocupação com as mudanças do Bloco K vem se intensificando, isso porque, o prazo para a implantação das novas diretrizes fixou-se em janeiro do próximo ano, então, já está mais do que na hora de ajustar suas informações para entregar ao Fisco em tempo hábil. Quanto mais cedo sua empresa procurar se adaptar, mais tranquilo será esse processo de transição, tendo em vista que ele costuma apresentar alguns pontos críticos, nada que não possa ser resolvido por uma gestão eficiente e um bom sistema ERP.

O que é o Bloco K?

Frente a cultura de corrupção que imperava no cenário empresarial brasileiro a alguns anos, surge da Receita Federal a ideia de criar um sistema unificado, com a finalidade de evitar a sonegação no momento de transmissão das devidas informações para fiscalização. Em 2007 entra em atividade o SPED Fiscal (Sistema Público de Escrituração Digital) hoje muito popular e útil aos contadores.

O sistema começou a operar a partir do recebimento de informações em blocos, escriturados e enviados pelos contribuintes, e o bloco K não é nada mais que um desses aglomerados de informações. O bloco K é responsável pelas informações de produção e estoque da empresa, e é de grande importância para a definição dos encargos tributários a serem cobrados, daí vem a necessidade de preenchê-lo com atenção.

O Bloco K é obrigatório?

Sim! O envio do Bloco K foi instituído como obrigação através do Decreto 6.022/2007 para todas as indústrias e atacadistas, ou qualquer estabelecimento que posso ser comparado a um destes. Em sua primeira definição, a obrigatoriedade desse bloco seria válida a partir de janeiro de 2016, mas, não foi identificado tempo hábil para a implementação, então, esse prazo foi transladado para 2017, englobando pessoas jurídicas inseridas no Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado (Recof) e instituições com  faturamento anual de no mínimo R$300 milhões e para 2018 no caso de faturamento igual ou maior a R$78 milhões anuais. Demais empresas e atacadistas são obrigadas a transmitir o bloco k a partir de 1 de janeiro de 2019.

Importância do Bloco K

Sempre que alguma novidade aparece nas obrigações contábeis é comum ver gerentes e empresários um pouco assustados e receosos, mas também cada vez mais atenciosos. Isso porque as penalidades e multas impactam de maneira muito grande o planejamento feito a longo prazo, e há de se compreender que mudar as formas como as coisas são feitas a tanto tempo sempre causa algum incômodo, normal, você não é o único. Como não poderia ser diferente, existem punições às corporações que por algum motivo faltarem com o envio das informações, e essa equivale a 1% do valor de estoque registrado ao fim do período de inadimplência. Mas a importância do Bloco K não se restringe às multas que pode acarretar, pois, a pressão dos órgãos fiscalizadores irá levar o controle de estoque a se aperfeiçoar e padronizar suas informações, assim o comércio será cada vez mais fluído.

Informações que compõem o bloco K

Entram no bloco de dados K, todas as informações concernentes às posses da empresa, isto é, ao estoque e aos seus bens, estejam esses em seu próprio poder ou em poder de terceiros, lembrando que a segunda situação precisa ser notificada. O Bloco K tem estrutura de preenchimento complexa e detalhada, feita nesses moldes a fim de promover a padronização da identificação dos itens, para que suas descrições sejam facilmente compreendidas pela Receita Federal, por isso os campos tem uma abrangência muito grande, exigindo por vezes um funcionário especializado em seu preenchimento, ou um sistema de gestão integrada, que se mostra mais eficiente por estar conectado em tempo real com o controle de estoque. As indústrias ainda terão um pouco mais de trabalho, pois deverão ser identificados todos os insumos utilizados para a produção, assim como suas quantidades presentes em cada item. A linha de montagem dos objetos vai ser minuciosamente mapeada, aumentando o nível de controle sobre as matérias-primas, algo que contribuirá também para a economia de recursos da empresa. É preciso prestar muita atenção aos dados enviados, pois o estoque declarado deve ser idêntico ao físico, ou sua empresa pode ser acusada de fraude, mesmo que tenha sido apenas um equívoco.

Frequência de envio do Bloco K

Eis aqui o maior desafio aos empresários! O Bloco K do SPED fiscal deve ser atualizado mensalmente, fato que tem deixado muitos gerentes de cabelo em pé. Essa preocupação acontece porque não há o costume de fazer o inventário de estoque com tanta frequência, e este processo é necessário para o preenchimento correto do Bloco. O objetivo dessa rigidez imposta pelo governo é diminuir o número de fraudes em declarações de bens assim como as fraudes em notas fiscais, algo que será alcançado gradativamente, e que terá bastante eficiência com relação ao arrecadamento público por ter iniciado através das empresas de grande porte, o que transfere também um caráter moral à implantação desse ato.

Para evitar dores de cabeça todo fim de mês, não há nada mais indicado do que o investimento em um sistema integrado, os famosos sistemas ERP. O nível de processamento de informações em seu banco de dados pode além de facilitar o envio, torná-lo automático, preenchendo sem maiores dificuldades os campos e transmitindo-os ao Fisco no dia e horário pré-programados, otimizando seu tempo e eliminando preocupações.

É preciso se preparar para todas essas mudanças, valendo aqui a busca por um bom Sistema ERP, com módulos profundos de contabilidade e controle de estoque e produção, mas também é importante contar com a consultoria de um bom profissional contador pois ele poderá indicar um caminho de uso das informações que minimize os impactos tributários sem ficar em débito com os órgãos fiscalizadores. No mais, lembre que  2017 está chegando, então é hora de correr contra o tempo e agilizar a transição para mais essa novidade antes que seja tarde demais.

Desta forma sugerimos que conheça o sistema ERP Brascomm e fique em dia com o Fisco além de se beneficiar com inúmeras funcionalidades que auxiliarão na gestão de seus negócios. Solicite uma apresentação!

Sem comentário

Escrever um comentário

Comentário
Nome
Email
Website

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.